Variedades,
16 MIN

EP 05: O café de antes e o café de agora por Dr. Aldir Teixeira (parte 2)

04/10/2017
MP3

Para quem adorou o bate-papo com a lenda da cafeicultura brasileira aqui, Dr. Aldir Teixeira, não vai perder a segunda parte da conversa. Nela, detalhes sobre o surgimento do movimento de cafés especiais no Brasil e algumas dicas para fazer um mestrado de café na Itália são detalhados.

Juramos que esse post NÃO foi patrocinado! Porém, não seria possível falar sobre o começo dos cafés especiais por aqui sem mencionar Dr. Ernesto Illy. Durante muitos anos entrevistando produtores, a grande maioria cita o Prêmio de Qualidade Illy como a porta de entrada nesse mercado que ganha força a cada ano.

O link para o processo seletivo do mestrado da Illy em Trieste é esse:
http://pensa.org.br

Se você não escutou a primeira parte da conversa, clique aqui.

Breve currículo:
Doutor em Agronomia, em 1972 pela ESALQ e trabalhou na Seção de Classificação e Degustação de Café da Secretaria de Agricultura do Estado de São Paulo em 1960. Seis anos depois (de 1966 até 1983), ele prestou serviço junto ao antigo Instituto Brasileiro do Café, o famoso IBC. Reassumiu o cargo no Instituto Biológico, em dezembro de 83, e aposentou-se em 1992 no cargo de Pesquisador Científico nível VI.

Pensa que ele parou?! Não! Em 1992, ele criou a empresa ASSICAFÉ onde foi diretor até 2014. Atualmente é membro e Coordenador de Qualidade da Câmara Setorial do Café, da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo, e Diretor Geral da Experimental Agrícola do Brasil da Illy desde 2011, cargo que ocupa até hoje.


Convidado:

Dr. Aldir Teixeira: diretor geral da Experimental Agrícola do café, que representa a Illy no Brasil na análise de grãos de qualidade.


ABSTRACT

If you loved the first part of the conversation with the Brazilian coffee legend, Dr. Aldir Teixeira, you need to check the second part of this chat. You will learn about the birth of Specialty Coffee in Brazil and find more information the coffee masters in Italy.

If you didn’t listen to the first part (in Portuguese), please click here.


Corta caminho
  • 01:36

    O nascimento do movimento de cafés especiais no Brasil.

  • 07:19

    O que mudou nos últimos 27 anos de Prêmio Illy?

  • 09:02

    Já pensou em fazer um mestrado em café na Itália?

2 comentário

  1. Heitor Marques disse:

    Gostei muito do axioma da “espera do café” do Dr. Aldir. Sobre a polêmica do robusta, concordo com ele no aspecto objetivo das características. Realmente não tenho nenhum varietal de robusta que tenha me apaixonado, embora tenha experimentado blends muito bons. No final, minha escolha sempre será 100% arábica, mas não desmereço os blends. Mas mais importante do que o que cada um de nós, estudiosos do café, acha sobre qualidade, é que “qualidade” é algo subjetivo e varia absurdamente conforme o público a que se destina. Por isso não diria que robusta não presta, mas apenas que atende públicos diferentes. Tem muita gente cujo paladar tende para o amargo e o adstringente do robusta e até paga mais caro por uma “robusta de qualidade”.

    1. admin disse:

      A cada episódio, um comentário super pertinente seu. Obrigada por sempre enviar um feedback.
      Comentários como esse sempre enriquecem a experiência COFFEA e também inspiram novas pautas.
      Já estamos pensando no roteiro de um episódio apenas sobre robusta 😉
      Abraços!
      Kelly

Deixe uma resposta

Scroll to top